André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

No Pará, Meirelles reforça confiança no crescimento

Expectativa do governo é de que, em 2018, o País cresça em torno de 3%, impulsionado pela geração de 2,5 milhões de novos empregos

Roberta Paraense, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

02 Março 2018 | 23h43

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, segue confiante na recuperação econômica do Brasil, que começou a dar sinais de recuperação desde o final de 2017. "O País está na direção certa, e vai continuar", discursou Meirelles, na cerimônia de lançamento da oitava edição do Anuário do Pará, em Belém, na noite desta sexta-feira, 2. Ele também comemorou o crescimento dos empregos formais, neste janeiro, com a criação de 77.822 mil vagas de trabalho, conforme o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

+++ Consumo das famílias cresce 1%, após dois anos de queda

A expectativa do governo federal é de que, em 2018, o País cresça em torno de 3%, impulsionado pela geração de 2,5 milhões de novos empregos. Meirelles também atribuiu esse desenvolvimento à inflação controlada e à baixa dos juros. "Vamos prosseguir com as medidas atuais, como controle de gastos públicos e manter a inflação na meta. Com isso, a população e as empresas aumentam seu consumo e geram mais recursos para investimentos", apontou.

+++ Investimento esboça reação após 14 trimestres

O ministro da Fazenda acredita que todos os setores da economia estão crescendo, sobretudo a agricultura. Em relação ao aumento de 1% do PIB de 2017, ele também se mostrou otimista, após dois anos de recessão. "Foi uma recuperação muito forte, o Brasil teve uma queda de 3%, em 2016, e, em 2017, crescemos 1%, esse ano vamos continuar crescendo", reforçou Meirelles, que reafirmou a possibilidade de ser candidato à Presidência da República.

"Até o dia 7 de abril, tomarei uma decisão. Depois, vamos ver se continuo no Ministério da Fazenda ou me candidato", disse em entrevista ao Estado. O evento também contou com a presença do ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo de Oliveira, que afirmou que, em 2018, a meta é dar continuidade às medidas de melhoria do ambiente de negócios. "Vamos simplificar a abertura de empresas, digitalizar os serviços públicos. Ou seja, aumentar a produtividade da economia. Trabalho que está dando resultado", promete.

Para o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, que também foi convidado para o lançamento do Anuário Pará 2018, a meta é a contratação de 650 mil novas unidades habitacionais. "Somente elas devem consumir o orçamento de aproximadamente R$ 73 bilhões, assim, conseguimos contribuir para o aquecimento da economia com a geração de empregos na construção civil de forma desconcentrada em todos os Estados do Brasil", destacou Baldy.

Helder Barbalho, ministro da Integração Nacional, foi o anfitrião de seus aliados no Estado. Ele acredita que a presença dos ministros no evento firma o compromisso do governo federal com todas as regiões do Brasil. "Nós temos a melhoria dos números na geração de empregos no País. E o Pará, tem um protagonismo na mineração, agronegócio, logística, produção de energia. Todos fazem com que o olhar para o Estado seja de grandes dimensões", destacou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.