No Rio, hotéis abandonados passam por 'resgate'

Na corrida para aumentar a oferta do setor hoteleiro no País, o mercado carioca está resgatando vários hotéis tradicionais que estavam fechados há algum tempo e se tornaram símbolo de um período de decadência do setor.

, O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2010 | 00h00

A rede Windsor, por exemplo, ficou com o tradicional Le Méridien, no bairro do Leme, conhecido em todo o País pelo show de fogos no réveillon. O empreendimento, que oferecerá 545 novos apartamentos, deverá ser parcialmente reaberto ainda este ano.

O empresário Eike Batista, dono da holding EBX, pagou R$ 80 milhões pelo tradicional Hotel Glória, empreendimento erguido nos anos 1920 pela família Tapajós. O empreendimento, que também passa por reforma, deverá adicionar mais de 300 apartamentos ao mercado carioca. No fim do ano passado, o Hotel Nacional, que fica em São Conrado, foi arrematado por um empresário do setor farmacêutico por R$ 85 milhões. A expectativa é que a administração do empreendimento seja terceirizada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.