No Rio, presidente chinês reitera: quer investir no Brasil

O presidente da China, Hu Jintao, acredita que o Brasil será a porta de entrada dos investimentos chineses na América Latina. Esse foi o principal recado de Jintao aos representantes da comunidade chinesa que participaram de um encontro no Rio de Janeiro, neste domingo. Cerca de 250 empresários, investidores e representantes diplomáticos participaram da reunião. No sábado à noite, o presidente chinês participou de um jantar no Palácio Laranjeiras, oferecido pela governadora Rosinha Matheus. No encontro, Jintao também reiterou o "interesse concreto" da China de investir no Brasil. A governadora lembrou o acordo assinado na véspera pelo presidente chinês com o governo federal para a construção do Gasoduto Sudeste-Nordeste (Gasene) - que irá transportar gás natural da Bacia de Campos para o Nordeste - para pedir a construção de uma fábrica de tubos de aço no Rio, que receberia um terreno e incentivos fiscais para sua instalação. Representantes do governo chinês terão uma nova reunião com integrantes do governo do Rio na próxima semana, para discutir a proposta. Na manhã deste domingo, antes de tratar de assuntos oficiais, Hu Jintao desfrutou de um privilégio antes só oferecido ao Papa João Paulo II, em 1980. O Corcovado, principal cartão postal da cidade, ficou fechado por quase quatro horas para que a comitiva chinesa pudesse aproveitar o passeio sem risco à segurança. O fechamento de todos os acessos ao Corcovado foi pedido pela Polícia Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.