Nokia fecha fábrica na Europa e demite 3.500 funcionários

Empresa finlandesa reduz custos depois de perder fatia do mercado de celulares para a Apple e a Samsung

NAYARA FRAGA, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2011 | 03h05

Na tentativa de reestruturar seu negócio, a Nokia anunciou ontem que planeja demitir 3,5 mil funcionários e fechar uma fábrica na Romênia. "Nós devemos tomar medidas dolorosas, porém necessárias, para alinha nossa força de trabalho e as operações com nosso caminho adiante", afirmou em comunicado o presidente da empresa finlandesa, Stephen Elop.

As demissões somam-se ao corte de 4 mil empregados divulgado em abril e devem ocorrer oficialmente no fim de 2012. A Nokia disse que vai também revisar a atuação de suas fábricas na Finlândia, na Hungria e no México. Outro objetivo é centralizar as operações comerciais e de mapeamento em Berlim, Boston e Chicago e fechar as que estão em curso em Bonn, na Alemanha, e em Malvern, Estados Unidos.

A Nokia justificou o fechamento da fábrica romena dizendo que pretende direcionar a produção de celulares para locais próximos a fornecedores e mercados-chave - nesse caso, a Ásia.

Em queda. Diante da força de Apple e Samsung, a Nokia vem perdendo espaço no mercado de celulares nos últimos anos.

Uma pesquisa global divulgada pela Digitimes aponta que 74,4 milhões de smartphones sairão das fábricas da Nokia em 2011, enquanto a Apple deve despachar 86,4 milhões de unidades. Em 2010, a fabricante finlandesa produziu 100 milhões de aparelhos.

Para recuperar a liderança, a Nokia anunciou neste ano que abandonará o sistema operacional Symbian para concentrar esforços no Windows - resultado da parceria com a Microsoft. Todos os novos smartphones da empresa devem ser produzido com a plataforma Windows.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.