Eduardo Moody/Odebrecht
Eduardo Moody/Odebrecht

Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Norberto Odebecht é sepultado em Salvador

Parentes, amigos, empresários e políticos participaram da cerimônia no cemitério de Campo Santo; empresário era natural de Recife

Heliana Frazão, Especial para O Estado de S. Paulo

20 de julho de 2014 | 18h32

SALVADOR - O corpo do engenheiro e empresário Norberto Odebrecht, de 93 anos, fundador da Organização Odebrecht, foi sepultado no final da manhã de domingo, 20, no cemitério do Campo Santo, em Salvador. 

O empresário faleceu no sábado, 19, no Hospital Cardio Pulmonar, na capital baiana, por complicações cardíacas. O enterro teve a presença de muitos parentes, amigos, empresários e políticos, entre eles o governador da Bahia, Jaques Wagner, e o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto, que lamentaram a morte do empresário.

“Os baianos se entristecem com a morte desse grande homem, cujo espírito empreendedor foi enriquecido por uma ampla visão social”, disse Wagner. Já o prefeito baiano ressaltou que Norberto Odebrecht foi um visionário ao construir uma das maiores empresas do mundo. “Em todos os setores em que atuou, foi pioneiro, contribuindo para o desenvolvimento da Bahia e do Brasil, gerando milhares de empregos”, declarou.

Norberto Odebrecht nasceu em, Recife, capital pernambucana, em 9 de outubro de 1920, filho do também empresário Emílio Odebrecht. Aos cinco anos de idade mudou-se para Salvador, junto com a família. Começou a trabalhar aos 15 anos nas oficinas da empresa do pai, a Emílio Odebrecht&Cia, atuando no ramo da construção civil. Lá, o jovem Norberto aprendeu os ofícios de pedreiro, serralheiro e armador, entre outras funções.

Entrou para a Faculdade de Engenharia aos 18 anos e três anos depois, ao completar a maioridade, assumiu a empresa do pai, que enfrentava dificuldades, realizando obras no Nordeste brasileiro, devido ao encarecimento e à escassez de material de construção em meio à Segunda Guerra Mundial.

O empresário acumulou a responsabilidade do trabalho com os estudos universitários, e em 1943 concluiu a graduação em Engenharia. No ano seguinte, após o fechamento da empresa do pai, fundou, em solo baiano, a Construtora Odebrecht, que mais tarde se transformaria numa das maiores e mais sólidas organizações brasileiras. 

Em 1973, já assinava obras na maioria dos estados brasileiros, tornando-se uma empresa de atuação nacional. No início dos anos 80 diversificou sua atuação, iniciando um processo de internacionalização.

Em algumas décadas a construtora ganhou corpo e hoje está presente em 23 países, com atuação nos setores de Engenharia & Construção, Indústria e no desenvolvimento e operação de projetos de Infraestrutura e Energia, empregando cerca de 200 mil pessoas. Integra também o grupo a Fundação Odebrecht, criada em 1965, para apoiar projetos de desenvolvimento social.

Neste ano, a companhia comemora seu 70º aniversário com investimentos de 12,8 bilhões de reais em negócios e receita bruta de aproximadamente 97 milhões de reais, segundo dados divulgados pela empresa.

Mudança. Em 1991, Norberto afastou-se da presidência do grupo, transferindo-a para o filho Emílio Odebrecht, e passou a responder pela presidência do Conselho de Administração. Sete anos mais tarde transferiu o cargo também para o filho Emílio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.