Northern Rock pressiona e bolsas européias fecham em queda

A notícia que o banco britânico Northern Rock teve de recorrer a um financiamento de emergência do Banco da Inglaterra pesou sobre as bolsas européias, que fecharam com fortes perdas. A informação acionou uma onda de vendas no setor, com os investidores preocupados que os mercados ainda não teriam visto a pior parte dos efeitos colaterais da crise de liquidez recente.O sentimento do setor foi azedado também depois que analistas do Société Générale rebaixaram as recomendações do UBS, Deutsche Bank e Credit Suisse, citando riscos crescentes para os lucros dos bancos de investimentos. "A turbulência nos mercados de ações, crédito e aberto deve pressionar não apenas a lucratividade dos bancos em particular mas também as finança em geral", concordou um estrategista do Citigroup.Em Londres, a bolsa fechou em queda de 1,17%, em 6.289,30 pontos. Em Frankfurt, o índice de ações recuou 0,51%. Em Paris, a baixa foi de 0,49%. A Bolsa de Madri caiu 1,54% e a Bolsa de Lisboa perdeu 0,64%. As ações do Northern Rock, quinto maior cedente de empréstimos do Reino Unido, despencaram 31%. Ontem, ela já haviam perdido 5% com rumores de que estava em dificuldades. Hoje, a companhia disse também que seu lucro será afetado neste ano e em 2008, assumindo que as atuais condições serão mantidas. "Há somente duas importantes questões em nossas mentes: qual é a avaliação base do Rock e o que isso implica para os outros bancos", resumiram analistas do Credit Suisse.As preocupações com o Northern Rock se espalharam para o setor bancário. As ações do Barclays, por exemplo, caíram 3,1%, apesar da notícia positiva de que obteve a aprovação dos acionistas para sua oferta de 59,4 bilhões de euros pelo ABN Amro. Ainda no setor, os papéis do Alliance & Leicester PLC caíram 6,9% e os do Bradford & Bingley PLC cederam 7,7%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.