'Nos amamos como no primeiro dia', diz mulher de Strauss-Kahn

Jornalista Anne Sinclair diz que caso de presidente do FMI com subordinada é 'página virada'

19 de outubro de 2008 | 15h07

Anne Sinclair, esposa do presidente do Fundo Monetário Internacional (FMI), o francês Dominique Strauss-Kahn, investigado por suposto abuso em relação extraconjugal com subordinada, disse neste domingo que ela e seu marido se amam 'como no primeiro dia' e que a página deste episódio 'está virada'.  Sinclair, uma conhecida jornalista francesa, também agradeceu em seu blog na internet às numerosas mensagens de apoio recebidas após o Wall Street Journal ter revelado o assunto.  'Há uma investigação interna no FMI. Esperamos serenamente sua conclusão. Deve ser rápida', escreveu. 'De minha parte, esta aventura de uma noite já ficou para trás. Viramos a página. Posso acrescentar, para terminar, que nos amamos como no primeiro dia', escreveu a jornalista. Strauss Kahn, que dirige o FMI desde setembro de 2007, é objeto de uma investigação interna da instituição em caso de suposto nepotismo vinculado a relações íntimas com uma subordinada. O FMI, um dos principais protagonistas das últimas semanas com a crise financeira internacional, deixou a investigação sobre seu presidente a cargo do escritório de advocacia Morgan, Lewis & Bockius, que apresentará suas conclusões no final do mês.

Tudo o que sabemos sobre:
FMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.