Nossa Caixa inicia amanhã operações com FGTS para habitação

O presidente da Nossa Caixa, Valdery Albuquerque, informou hoje que a instituição oferecerá, a partir de amanhã, a linha de financiamento imobiliário com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) no valor de R$ 100 milhões. Poderão se habilitar ao crédito famílias com renda máxima de R$ 4,5 mil, sendo que R$ 20 milhões serão destinados a famílias com renda de até R$ 1 mil. A expectativa é que a nova linha atenda a 3 mil famílias e que as obras gerem 16 mil empregos diretos e indiretos no Estado de São Paulo.Os juros nessa linha de financiamento variam entre 6% e 10,16% ao ano mais a Taxa Referencial (TR), de acordo com a faixa de renda da família. Albuquerque disse que o financiamento é bastante atraente, pois quem tem renda de até R$ 1 mil mensais pagará 6% ao ano mais a TR (cuja taxa anualizada para 2003 é de 5%). "A taxa total será, portanto, inferior a 1% ao mês", disse ele. A linha de financiamento imobiliário foi lançada pelo governador Geraldo Alckmim na última segunda-feira, no Palácio dos Bandeirantes, e já houve 2.700 consultas. Albuquerque acredita que esses R$ 100 milhões sejam colocados junto ao público até o final desse semestre.Novos projetosA Nossa Caixa está buscando junto ao fundo gestor do FGTS a possibilidade de se conseguir mais um aporte de R$ 100 milhões. É a primeira vez em 17 anos, desde a extinção do Banco Nacional da Habitação em 1986, que outra instituição, além da Caixa Econômica Federal, oferece financiamento imobiliário com recursos do FGTS. O presidente da Nossa Caixa informou ainda que a instituição solicitou ao Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalahdor (Codefat) uma linha de crédito de R$ 100 milhões para atender famílias de classe média. O banco pleiteia junto ao governo federal recursos para aplicar na habitação de São Paulo em dois outros programas: o Programa de Subsídio à Habitação de Interesse Social (PSH) e o FAT Habitação. A Nossa Caixa e a CDHU desenvolveram projeto para viabilizar no âmbito do PSH a construção de mil unidades habitacionais dedicadas a famílias com renda máxima de R$ 700,00.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.