"Notáveis" descartam dolarização na Argentina

O ministro de Economia da Argentina, Roberto Lavagna, divulgou hoje o relatório da comissão de notáveis sobre a situação da Argentina, a qual pede ?medidas urgentes? para o país. Os notáveis aconselharam que "a Argentina tem que deixar de perder reservas de forma urgente" e advertiram que a população vai enfrentar "maiores sacrifícios", além de descartar a "dolarização". O relatório afirma que o ?governo deve evitar a fuga de divisas, eliminar os bônus provinciais e restaurar o sistema bancário?.O Ministério de Economia distribuiu somente uma síntese do diagnóstico e das recomendações realizadas. O relatório vai contra o decreto presidencial que suspende as sentenças judiciais por 120 dias porque não o considera uma decisão definitiva para o problema, o que deve ser implantando urgentemente, ?como um pré-requisito a qualquer medida para sanear o sistema financeiro?, afirmou Roberto Lavagna. O comitê disse ainda que o governo poderá ser obrigado a usar o sistema de metas de inflação como guia da política monetária, mas somente depois de coneguir controlar a liquidez com credibilidade.O comitê também disse que algum grau de autonomia do Banco Central será necessário para que o regime de metas de inflação possa funcionar. "No curto prazo, a estabilidade da âncora monetária depende em grande medida de como o ´corralito´ e o ´corralón´ são administrados. No longo prazo, ela dependerá também de uma posição fiscal que limite com rigor a necessidade de financiamento monetário do governo", diz o documento divulgado pelo comitê.

Agencia Estado,

29 de julho de 2002 | 16h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.