finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Nova aduana de Foz do Iguaçu entra em teste

Quem for à cidade paraguaia de Ciudad del Este, na divisa com Foz do Iguaçu, a partir das 7 horas da manhã desta terça-feira, no retorno passará pela nova aduana da Receita Federal, onde se pretende fiscalizar 100% dos turistas e "sacoleiros", os pequenos comerciantes que fazem suas compras no mercado paraguaio para revender os produtos no Brasil. Nesta primeira semana, o trabalho servirá como teste para verificar possíveis problemas e solucioná-los antes do início oficial das operações. Instalada em área de 8,5 mil metros quadrados, a nova aduana permite maior comodidade aos turistas e mais agilidade para o trabalho dos fiscais. Atualmente, na acanhada estrutura, que funciona ao lado e tem cerca de 40 anos, a fiscalização é feita por amostragem e atinge em média 5% dos que vão à cidade paraguaia fazer compras. Para melhorar o tráfego, quatro pistas serão destinadas unicamente aos automóveis, um fica para os ônibus, outra para as motocicletas e uma sétima para os pedestres.A estimativa da Receita é que, depois de implantado o sistema, a espera entre a entrada na fila e a saída não seja superior a duas horas. Para tornar ainda mais ágil o serviço, há conversas com a prefeitura de Ciudad del Este para que o fluxo na Ponte da Amizade, no lado paraguaio, seja melhorado. A intenção da Receita Federal é que todas as pessoas e mercadorias que ingressam no Brasil sejam fiscalizados, com a permissão de entrada apenas para os que demonstrarem que os produtos são para uso próprio. Em média trafegam diariamente pela Ponte da Amizade cerca de 20 mil veículos, entre automóveis e motocicletas, além de 50 mil pessoas.

Agencia Estado,

23 de outubro de 2006 | 16h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.