Nova desoneração vai considerar equilíbrio fiscal, diz Rachid

Segundo secretário da Receita, governo reduziu impostos da gasolina e trigo por preocupação com inflação

Fábio Graner, da Agência Estado,

15 de maio de 2008 | 19h57

O secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, disse nesta quinta-feira, 15, que eventuais novas desonerações de produtos levarão em conta o comportamento da arrecadação à luz do equilíbrio das contas públicas. Veja também:Governo anuncia medidas e preço do pão francês pode cair Após participar de debate sobre a reforma tributária promovido pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), ele explicou que o governo tem preocupação com a inflação e foi por isso que reduziu impostos na gasolina e na cadeia do trigo. Segundo Rachid, o governo sempre leva em conta a possibilidade do potencial de repasse aos preços da desoneração. "Não adianta desonerar se não houver repasse", acentuou. Garantiu não ter informações sobre eventuais novas desonerações. A suspensão do PIS e Cofins sobre farinha de trigo, pão francês e trigo, decidida na quarta pelo Ministério da Fazenda com o objetivo de reduzir os preços, representará uma perda de receita de R$ 500 milhões até dezembro. O governo deixará de arrecadar mais R$ 2 bilhões, este ano, com a redução da Cide sobre a gasolina, que evitou o aumento de preço na bomba.

Tudo o que sabemos sobre:
ImpostosJorge Rachid

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.