WERTHER SANTANA/ESTADÃO
WERTHER SANTANA/ESTADÃO
Imagem Fábio Gallo
Colunista
Fábio Gallo
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Nova geração de investidores na Bolsa

Pessoas cada vez mais jovens começam a investir em renda variável

Fábio Gallo, O Estado de S.Paulo

11 de outubro de 2021 | 04h00

Os dados mais recentes sobre o perfil dos investidores têm trazido notícias interessantes. Atualmente, são 3,2 milhões de pessoas físicas investindo na Bolsa brasileira, o que significa um crescimento de 43% somente no primeiro semestre do ano e um total acumulado de R$ 545 bilhões investidos, 55% a mais do que o registrado no mesmo período de 2020. Embora com valor médio inferior.

Interessante é o fato de que pessoas cada vez mais jovens e fora do eixo Rio-São Paulo começam a investir em renda variável. A maior parte dos investidores na Bolsa está na faixa de 25 a 39 anos e corresponde a 50% dos novos entrantes do mercado. 

Chama a atenção, também, que em torno de 60% dos investidores buscam informações sobre investimentos por meio de influenciadores no YouTube. Isso ocorre porque o acesso é fácil, rápido, com mensagens claras e, muitas vezes, lúdicas. 

Esse é o lado bom, mas essa facilidade, a falta de conhecimentos mais sólidos e o fato de ser influenciado podem fazer com que a pessoa ache que já domina tudo e que ganhar dinheiro na Bolsa é fácil e rápido. Que é possível ficar rico do dia para a noite. 

Nesse ambiente de influenciadores há muita gente boa, mas também há muitos falsos profetas, que emitem opiniões sem ter a menor base ou com má fé, prometendo riqueza de maneira impossível. 

No exterior, também, tem ocorrido o crescimento dos investimentos de pessoas físicas nas bolsas. Segundo dados da JMP Securities, em 2020 foram abertas mais de 10 milhões de novas contas de investidores individuais. Da mesma forma, chama a atenção que a grande maioria desses novos clientes são millennials ou até mais jovens. 

No entanto, esses novos investidores têm vindo com muito apetite a risco – o que não é novidade. Por outro lado, esse grupo tem se mostrado mais sério e sofisticado do que parece. Embora costumem investir por meio de aplicativos móveis, o acesso a profissionais financeiros é um fator muito importante para eles. 

De acordo com pesquisa da JD Power (2020), a satisfação do investidor dobra quando as interações digitais e humanas são combinadas. Outros dados mostram que mais de 70% dos investidores que chegam ao mercado têm a perspectiva de comprar e manter no longo prazo e enxergam os investimentos como forma de construir riqueza a longo prazo. 

Nos Estados Unidos, muitos investidores foram atraídos para o mercado por ações de muito risco, lá chamadas de memes stocks, que bombaram nas plataformas Reddit e TikTok, como por exemplo: AMC Theatres, GameStop, Tesla, Bed Bath & Beyond e Tilray. Mas as pesquisas indicam que o interesse em continuar comprando ações desse tipo é baixo. 

A chegada de novos investidores é uma notícia muito boa, mas exige do mercado uma atenção muito grande em gerar boas experiências e propiciar educação financeira de qualidade para melhorar suas habilidades de investimento. Não podemos correr o risco de perder uma oportunidade incrível de criar uma geração de investidores bem preparados e engajados no longo prazo.

PROFESSOR DE FINANÇAS DA FGV-SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.