Nova lei da Bolívia inviabiliza investimentos, diz ministra

A nova lei de hidrocarbonetos boliviana, que eleva os royalties sobre a exploração de petróleo e gás natural de 18% para 50%, desperta "inquietação e torna inviáveis novos investimentos", disse hoje a ministra de Minas e Energia, Dilma Roussef. "Esperamos que essa situação ainda se reverta e este tributo não seja aprovado", afirmou. A Petrobras já havia se manifestado "preocupada" com a aprovação da lei na Câmara e que agora está sob análise no Senado.Segundo a ministra, o pólo gás-químico que seria construído na fronteira dos dois países está em suspenso por causa do impasse na Bolívia. "Não há como avaliar a economicidade de um projeto como este. Não há regras claras. Há incertezas e isso impossibilita a continuidade do investimento", afirmou Dilma, após participar da inauguração da linha de transmissão Ouro Preto 2 - Vitória.A ministra disse que o governo brasileiro já manifestou sua preocupação ao governo da Bolívia. "Nós somos sensíveis ao quanto a Bolívia quer preservar suas reservas e garantir tributação sobre elas, mas 50% é inviável", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.