coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Nova máxima do dólar no dia: R$ 2,7840

O dólar comercial atingiu nova máxima às 15h37, em R$ 2,7840. Trata-se da cotação mais elevada desde o dia 21 de setembro, quando a moeda norte-americana foi vendida a R$ 2,8350. Depois disso o dólar recuou um pouco, mas já voltou a subir. Às 15h55, voltou a ser negociada na cotação máxima. Segundo analistas, o forte nervosismo dos investidores tem como motivo central as incertezas em relação ao encaminhamento do processo eleitoral e à capacidade do País em administrar sua dívida.O mercado de juros acompanha esse nervosismo. A Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) informou que os negócios com contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 já bateram no limite de oscilação diária previsto, mas já voltaram a ser negociados pelo mercado. Às 15h50, esses papéis pagavam taxas de 22,340% ao ano, frente a 20,450% ao ano apurados ontem. Às 15h35, a taxa de risco-país, que mede a capacidade do país em honrar sua dívida, chegou a 1.300 pontos bases. Segundo informou a editora Márcia Pinheiro, nesse patamar, o Brasil passou a ser o terceiro país mais inseguro do mundo para se investir, ultrapassando o Equador, cujo risco-país está em 1.283 pontos base. Os líderes neste ranking são Argentina e Nigéria.

Agencia Estado,

12 de junho de 2002 | 15h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.