Nova plataforma da Petrobras produzirá 180 mil barris/dia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa hoje da solenidade de batismo da plataforma P-50, que passará a ser a maior unidade de petróleo e gás natural do País com produção média de 180 mil barris diários. Com índice de nacionalização de 35%, a nova plataforma custou US$ 634 milhões (cerca de R$ 1,3 bilhão), gerando 4 mil empregos diretos e outros 12 mil indiretos no País. A solenidade de batismo ocorrerá no fim da manhã, no estaleiro Mauá-Jurong, em Niterói, no entorno da Baía de Guanabara, onde foram realizadas pelo estaleiro as obras de integração e instalação dos módulos ao casco da plataforma. Os módulos envolvem desde a parte mecânica e operacional da unidade, até as áreas reservadas ao dormitório e ao refeitório dos empregados. Adaptada pela empresa Jurong Shipyard, de Cingapura, a P-50 será a última unidade do tipo flutuante adaptada do casco de um petroleiro, no caso o navio Felipe Camarão. A partir de agora, a Petrobras construirá os cascos a serem utilizados nesse tipo de unidade com base em projeto desenvolvido pelo Cenpes (o centro de pesquisas da companhia). Maior unidade a operar no País em volume de produção, a P-50 deverá deixar ainda este ano a Baía de Guanabara com destino ao campo de Albacora Leste, na Bacia de Campos, no norte fluminense. A plataforma também teve partes de seus contratos implementados e concluídos na Itália e nos Estados Unidos. Um dos 36 projetos responsáveis pela conquista da auto-suficiência em petróleo em 2006, a P-50 contribuirá com o incremento de 12,4% da produção anual nacional com seus 30 poços, 16 produtores e 14 injetores de água. Unidade de produção, armazenamento e estocagem de petróleo e gás natural (FPSO), a plataforma também terá capacidade de comprimir 6 milhões de metros cúbicos de gás natural e de estocar 1,6 milhão de barris de óleo. Considerado vital pela Petrobras para que o País consiga a auto-suficiência na produção de petróleo, assim como a própria P-50 o campo de Albacora Leste, onde a unidade será instalada, está localizado a cerca de 120 quilômetros da costa do Cabo de São Tomé (RJ), ocupando uma área de 141 quilômetros, com profundidade de 800 a 2 mil metros. As informações são da Radiobrás.

Agencia Estado,

23 Novembro 2005 | 07h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.