Nova queda da Selic pode provocar alta no dólar

A decisão do banco central norte-americano (FED) em manter os juros nos patamares atuais - 6,5% ao ano - pode favorecer uma nova redução na taxa de juros básica - Selic - no Brasil. Caso isso aconteça, uma das expectativas dos investidores é que a cotação do dólar suba. Esse movimento foi verificado na semana passada, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu em um ponto porcentual a taxa Selic, para 17,5% ao ano. Em três dias úteis, o preço do dólar subiu 1,38%.A alta na cotação da moeda norte-americana é explicada porque, com a redução dos juros no País, existe a expectativa de que os investidores transfiram o dinheiro do mercado interno para aplicações no Exterior. Mesmo com a manutenção dos juros nos Estados Unidos, as taxas norte-americanas continuam atraentes. Além disso, os títulos da dívida dos Estados Unidos têm risco zero.Os investidores que têm dólares para vender "antecipam" essa tendência e cobram mais caro pela moeda norte-americana. Aqueles que querem comprar pagam, na expectativa de que o valor do dólar suba e alcance valorização ainda maior. O dólar oficial divulgado pelo Banco Central ficou hoje em R$ 1,8195 na ponta de venda, registrando queda de 0,22%, em relação ao fechamento de ontem. Este valor é a média dos negócios do dia, e foi inferior ao dólar de fechamento desta quarta-feira, que representa a média dos últimos negócios. Estes últimos negócios foram fechados a R$ 1,8220 registrando queda de 0,11% com relação aos últimos negócios de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.