Nova tábua é um avanço para o planejamento

Visão do especialista

Jair Lacerda, O Estadao de S.Paulo

19 de março de 2010 | 00h00

A nova tábua biométrica, aprovada pela Susep, é um grande avanço para os brasileiros que planejam ter um plano de previdência privada complementar ou um seguro de vida. Agora, a precificação de seguros de vida e previdência vai refletir de forma mais acurada a realidade da população.

O preços dos seguros de vida tendem a cair, permitindo o ingresso de novos consumidores nesta modalidade de proteção da família.

Em média os preços das apólices individuais podem sofrer reduções de até 10%, dependendo da idade do contratante. O brasileiro consumidor de seguro tem vida mais longa que a registrada nas tábuas de mortalidade estrangeiras comumente usadas até aqui como referência pelo no mercado brasileiro.

A nova tábua representa um avanço no mercado de previdência, pois permitirá o correto planejamento de seguradoras e indivíduos para estipular os valores necessários de contribuição na conquista de uma aposentadoria tranquila, considerando o aumento contínuo da longevidade da população. O brasileiro está vivendo mais e a nova tábua permitirá fazer o acompanhamento contínuo desta evolução. O Brasil agora integra o seleto rol de países que têm uma tábua biométrica específica para seus respectivos mercados de seguros, ferramenta presente até aqui apenas em países desenvolvidos.

A mercado segurador terá agora a capacidade técnica para desenvolver novos produtos totalmente adequados à realidade dos brasileiros.

Para quem tem planos de previdência ou seguros de vida, nada muda. Mas as novas tábuas servirão de referência para que o consumidor reavalie continuamente se possui o plano ou a apólice de vida adequados à necessidade.

Diretor Executivo do Bradesco Previdência, Presidente da Comissão Atuarial da Fenaprevi e Membro da Comissão Nacional de Atuários

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.