Nova usina da Nippon Steel não muda planos da CSA

Japonesa Nippon Steel é concorrente direta da alemã ThyssenKrupp, já que produz um aço de alta qualidade

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

25 de março de 2008 | 10h52

O presidente da ThyssenKrupp CSA Siderúrgica do Atlântico (TKCSA), Aristides Corbellini, disse hoje que o anúncio feito ontem pela imprensa japonesa de um empreendimento da Nippon Steel com a Usiminas em São Paulo "é velho" e não altera os projetos da CSA. "Essa história da Nippon Steel é a mais velha do mundo", disse, acrescentando que a ThyssenKrupp não operaria o projeto no Brasil de 3 bilhões de euros por causa do suposto empreendimento "que não tem novidade nenhuma". Ele admitiu, entretanto, que a japonesa Nippon Steel é concorrente direta da alemã ThyssenKrupp, já que produz um aço de alta qualidade.A Nippon Steel resolveu assumir o controle de uma nova usina a ser construída pela Usiminas em Cubatão (SP), um investimento estimado em US$ 5 bilhões a US$ 6 bilhões, revelou ontem o jornal The Nikkei.Ele disse que o projeto da CSA no Rio de Janeiro está com o cronograma dentro do esperado e começará a operar em março de 2009. Ainda segundo Corbellini, a desaceleração da economia dos Estados Unidos não afeta o projeto da CSA porque os EUA não serão consumidor final do aço que será produzido no Brasil, mas apenas local intermediário para a venda.Ele explicou que a CSA vai exportar dois milhões de toneladas de aço para a Europa e três milhões para os países do Nafta (México, Canadá e EUA), sendo que nos Estados Unidos a placa de aço será transformada para ser enviada a outros países.Corbellini participou esta manhã de cerimônia de assinatura de convênio na área ambiental com o governador do Rio, Sérgio Cabral, na sede da Firjan.

Tudo o que sabemos sobre:
Nippon SteelThyssenKrupp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.