Nova Zelândia no limite

Nas Ilhas Norte e Sul, 14 parques naturais e atrações que prometem acelerar o coração até dos mais corajosos

, O Estadao de S.Paulo

04 de junho de 2009 | 00h00

Dirigir na mão inglesa é apenas o início das aventuras na Nova Zelândia. No outro lado do mundo, o país de colonização britânica conta com 14 parques nacionais, ricos em natureza e atividades radicais. Isso sem falar no bungee jump, um verdadeiro patrimônio nacional, criado por um destemido neozelandês, em 1988.Para começar a desbravar essa terra cheia de opções para os aventureiros, fique pelo menos alguns dias em Auckland. E, mesmo que você não queira, terá de passar por lá, já que a cidade é a porta de entrada dos brasileiros. Para fazer subir os níveis de adrenalina logo no início da jornada, vá até a Sky Tower, de onde se pode ter a sensação de queda livre, amarrado a um cabo a 192 metros de altura.Em Auckland, muitos turistas alugam carros para desbravar o país pelas estradas - uma boa notícia para os brasileiros é que a certeira de habilitação nacional é aceita por lá. Mas lembre-se: você está na mão inglesa.Seguindo para a Ilha Sul, o espírito radical do país fica ainda mais presente. Essa porção de terra é a favorita dos que vão ao local para experimentar a sensação de coração acelerado. Em Queenstown, as atrações são muitas. Comece pelo clássico bungee jump de 43 metros da Ponte Kawarau. Ali foi criada a primeira versão comercial da atividade,que funciona até hoje. Quer mais altura? Então encare o bungee jump Nevis Highwire, que proporciona 8,5 segundos de queda livre a 134 metros do solo. Para encerrar a programação no sul, um rafting pelo Rio Shotover ou pelo Kawaru.A Ilha Norte, apesar de não concentrar as grandes atrações de aventura, tem lá sua cota de encantos. O Parque Tongariro, em Taupo, por exemplo, foi cenário da trilogia O Senhor dos Anéis (2001 a 2003) e também é o local com maior atividade vulcânica do país - são três os vulcões ativos por lá. Bem perto desse ponto há outra parada impressionante. Em Rotorua, fumaça saindo da terra e lagos cheios de uma água verde e laranja compõem o cenário. A paisagem surreal é resultado da ação de minérios liberados da terra por conta da intensa atividade termal. Mas antes de ir, fica o aviso útil: o cheiro de enxofre é fortíssimo e toma conta de toda a região.KIWISEntre uma aventura e outra, certamente você vai encontrar uma oportunidade de interagir com os alegres kiwis. E não estamos falando das frutas, nem do pássaro típico da região. E, sim, dos próprios neozelandeses. É assim que eles se autodenominam. Sempre simpáticos e hospitaleiros, os donos do curioso apelido têm sotaque difícil de entender no primeiro dia. Site: www.newzealand.com

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.