Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Novas concessões de crédito no País recuam 7,7% em fevereiro

Estoque das operações fica praticamente estável no mês, acumulando R$ 1,230 trilhão, ou 41,6% do PIB

Reuters e Agência Estado,

26 de março de 2009 | 10h48

As novas concessões de crédito feitas pelos bancos caíram 7,7% em fevereiro, segundo dados divulgados nesta quinta-feira, 26, pelo Banco Central. Na pessoa jurídica, as concessões acumuladas no mês tiveram queda de 7,2% e na pessoa física, de 8,4%. Já o estoque das operações no País cresceu 0,1% em fevereiro frente a janeiro e acumulou R$ 1,230 trilhão, o equivalente a 41,6% do Produto Interno Bruto.

 

Veja também:

linkJuros para empresas e consumidores caem em fevereiro

linkInadimplência entre consumidores é a maior em quase 7 anos

 

A média diária das concessões de crédito livre, por outro lado, subiu 7,7% em fevereiro na comparação com janeiro, tendo a pessoa jurídica verificado alta de 8,3% e o segmento pessoa física, alta de 6,8%.

 

O estoque de crédito com recursos livres teve queda de 0,3% em fevereiro, ante janeiro, para R$ 868,9 bilhões, enquanto o crédito com recursos direcionados teve expansão de 1,2%, para R$ 361,9 bilhões, na mesma base comparativa.

 

Os principais crescimentos no crédito direcionado foram verificados nos empréstimos do BNDES, com alta de 1,3%, e no crédito habitacional, com expansão de 2,8%. No segmento livre, a principal queda ocorreu no leasing para pessoa jurídica, com recuo de 11,7% no mês. Em doze meses, o crédito livre registra crescimento de 27,8% e o direcionado, de 29,5%.

 

No primeiro bimestre, o crescimento é de apenas 0,3%, ante o nível do estoque de crédito de dezembro. Nos últimos 12 meses encerrados em fevereiro, o estoque de crédito cresceu 28,3%.

 

Provisões

 

As provisões de crédito do sistema financeiro cresceram 16,9% em fevereiro na comparação com janeiro, de acordo com dados divulgados pelo Banco Central. Segundo o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, esse movimento reflete principalmente a mudança feita no final do ano que autorizou os bancos que fizerem provisões acima do requerido a não descontar esse adicional do seu patrimônio, protegendo a capacidade de alavancagem das instituições, além, é claro, de uma maior percepção de risco.

 

Segundo Altamir, esse processo de provisionamento vinha sendo feito e só agora entrou nas estatísticas do BC. O estoque de provisões do sistema financeiro em fevereiro era de R$ 79,2 bilhões, para um volume de crédito total de R$ 1,23 trilhão. Altamir argumentou que o fato que comprova que a mudança na regra está interferindo no aumento das provisões é que os bancos privados colocaram um volume significativo de recursos, R$ 3,5 bilhões (ante R$ 214 milhões em janeiro), para provisionar crédito de classificação AA, a mais baixa que existe e que não exige provisionamento.

 

Os dados mostram ainda que a participação dos bancos públicos no total de crédito concedido pelo sistema financeiro nos últimos 12 meses subiu significativamente. Segundo Altamir, os bancos públicos responderam por 37% do estoque de crédito em fevereiro. No mesmo mês de 2009, essa participação era da ordem de 34%. Já os bancos privados nacionais tiveram sua parcela no crédito reduzida de 44% para 42% e os bancos estrangeiros, de 22% para cerca de 21%.

 

Base monetária

 

A base monetária teve recuo de 4,4% em fevereiro ante janeiro, pelo critério de média de saldo nos dias úteis, totalizando R$ 135,861 bilhões. Em 12 meses, a base monetária tem expansão de 2,5%. Considerando o critério no final do período (na ponta), a base monetária teve recuo de 0,9% no mês e alta de 7,9% em 12 meses.

Tudo o que sabemos sobre:
CréditoCrise Financeira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.