Novelis para de produzir alumina em Ouro Preto

A maior fabricante mundial de laminados de alumínio, a Novelis, vai parar de produzir alumina na unidade de Ouro Preto, em Minas Gerais, a partir do dia 26 de março. A decisão provocará a demissão de 150 empregados. Outros 140 funcionários terceirizados também serão dispensados, num corte total de 290 trabalhadores. "A queda vertiginosa dos preços do produto diminuiu drasticamente a competitividade da fabricação e comercialização de alumina, inviabilizando esta operação", explica o comunicado distribuído à imprensa pela Novelis. De acordo com a empresa, o aumento dos custos combinados à baixa escala de produção em Ouro Preto tornaram a operação inviável.A alumina é matéria-prima para a produção do alumínio. Mas, de acordo com o comunicado da empresa, a produção do metal primário em Ouro Preto será mantida. Com o fim da produção local da alumina, a matéria-prima será comprada de terceiros. Cerca de 800 operários continuarão trabalhando na unidade mineira.Ontem à tarde, o governador em exercício de Minas, Antônio Augusto Anastasia, informou que agendou uma reunião com representantes da empresa e com o prefeito de Ouro Preto, Angelo Oswaldo, para segunda-feira. Segundo ele, a expectativa do governo é tentar reverter a situação.TUBOSA V&M do Brasil, maior fabricante de tubos sem costura do Brasil, também confirmou demissões na planta industrial do Barreiro, em Belo Horizonte. De acordo com informações divulgadas pela empresa, houve 76 demissões em janeiro. O número seria menor do que se pretendia fazer, que eram 90 demissões. Apesar do cenário adverso, a siderúrgica informou que manterá seus investimentos numa nova usina em Jeceaba, com capacidade para produzir mais 600 toneladas de tubos sem costura, em parceria com o grupo japonês Sumitomo. Para evitar novas demissões, a V&M pretende, se necessário, transferir operários do Barreiro para a nova unidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.