Novo campo no ES entra em operação em 2008

Qualidade do petróleo encontro e disponibilidade do gás natural são destaques maiores do que os volumes das reservas de Camarupim

Kelly Lima, O Estadao de S.Paulo

07 de dezembro de 2007 | 00h00

O campo de Camarupim, no Espírito Santo, onde a Petrobrás anunciou ontem ter encontrado novas reservas de gás e óleo leve (de melhor qualidade), já estava programado para entrar em operação até dezembro de 2008 e produzir 10 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, mais 35 mil barris de óleo diários. O campo, ao norte de Vitória, havia sido descoberto em 2006, e a cada nova perfuração vem se confirmando com um excelente potencial de reservas de óleo leve e gás. Na verdade, a qualidade do óleo encontrado e a disponibilidade do gás natural - que apresenta déficit elevado no Brasil - são destaques maiores do que os volumes localizados de reservas na área. O óleo, de 29 graus API (medida em que quanto maior o numeral, de maior qualidade é o óleo) se equipara ao de Tupi, com 28 graus. O professor Giuseppe Bacoccolli, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), destacou que, na época da descoberta, o campo de Camarupim teve reservas anunciadas na faixa de 170 milhões de barris de óleo equivalente (considerando gás e óleo leve). "Isso está, claro, muito longe do volume de 5 bilhões a 8 bilhões de barris e reserva encontrados em Tupi", lembrou, comentando que os resultados dos dois poços perfurados pela Petrobrás vêm confirmar boas perspectivas para a região, mas não mudam significativamente o quadro das reservas nacionais.Para atuar no campo de Camapurim, a Petrobrás já afretou o navio-plataforma FPSO Cidade de São Mateus, em construção pela empresa Prosafe. A Petrobrás planeja uma campanha de perfuração para o campo a partir de fevereiro de 2008. Inicialmente, segundo um técnico da empresa, serão perfurados três poços para produção de gás e condensados e interligados ao FPSO, que tem capacidade para receber até seis poços em profundidade d?água entre 750 metros e 900 metros. A transferência do óleo produzido pela plataforma será feita por um navio aliviador. Já a produção de gás, que em parte será absorvida pela unidade, será escoada por um gasoduto, que ligará a plataforma à Unidade de Tratamento de Gás Natural (UTGN) de Cacimbas. O campo, que tem participação da El Paso com 35%, está ao lado de Golfinho, área em que a Petrobrás também encontrou óleo leve e gás natural e onde foram identificadas reservas potenciais de 450 milhões de barris de óleo equivalente. Golfinho produz hoje cerca de 150 mil barris por dia. A Petrobrás prevê que em 2010 o Espírito Santo será o maior fornecedor nacional de gás natural do País, com cerca de 20 milhões de metros cúbicos por dia.AÇÕESO mercado se mostrou otimista com as descobertas da Petrobrás e as ações da companhia "brilharam" na Bolsa durante todo o pregão de ontem. Para analistas, a notícia é positiva, mesmo sem informações adicionais sobre o tamanho da reserva. "A alta do papel hoje está correta, precifica o bom momento da empresa", disse Marcos Paulo Fernandes, da Fator Corretora. Segundo ele, a novidade é "extremamente positiva", ainda mais na seqüência da grande descoberta de Tupi, há um mês. Em alerta ao mercado, a Unibanco Research reiterou sua recomendação de compra para as ações. "Não há nenhuma informação sobre o tamanho da reserva, o que poderia permitir uma melhor avaliação da relevância dessa descoberta. Entretanto, essa novidade confirma nossa visão positiva para a Petrobrás, levando em conta a magnitude das descobertas recentes."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.