Wilson Pedrosa/AE
Wilson Pedrosa/AE

Novo diretor do Banco Central pretende participar ativamente de fóruns internacionais

Para Luiz Awazu Pereira da Silva é importante neste momento criar novas regras prudenciais durante estes grandes fóruns 

Célia Froufe e e Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

27 de abril de 2010 | 11h51

O novo diretor de assuntos internacionais do Banco Central, Luiz Awazu Pereira, pretende colaborar com os debates para a criação de novas regras prudenciais em grandes fóruns internacionais, como o Banco Mundial, G20 e Banco Internacional de Compensações Financeiras (BIS, na sigla em inglês). Um dos objetivos desses debates, segundo o novo diretor, é a "suavização de ciclos" como a "prociclicidade" observada no sistema financeiro e o ciclo de crédito.

 

Também citou que manterá vigilância aos temas domésticos, como a inflação, crédito e área fiscal. Em linha com o discurso de Meirelles, ele afirmou que o objetivo do trabalho do colegiado é a "preservação da estabilidade dos preços".

 

Durante o discurso de posse, o diretor afirmou que estava "honrado" em fazer parte de um grupo "vitorioso". Para Awazu, a gestão de Henrique Meirelles e da diretoria da instituição teve grande sucesso durante a maior crise desde a grande depressão econômica.

 

Na avaliação do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, a chegada do novo diretor de Assuntos Institucionais, Luiz Awazu Pereira da Silva, tem um significado importante para a instituição no momento em que o BC brasileiro assume papel em instituições multilaterais. "A experiência de novo diretor vem adicionar esse aspecto importante", disse durante cerimônia de posse. "Estou confiante na escolha do perfil do novo diretor", acrescentou.

 

Descontraído, Meirelles disse a Awazu que, provavelmente ele enfrentará o mesmo problema que outros diretores que já passaram pelo Copom encontraram. Segundo ele, muitos relatam que se sentem desconfortáveis com o que leem nos jornais sobre o Copom - o que chamou de peça de ficção - mas que depois admitem que sentem falta desse trabalho. "Você está entrando em um momento importante", disse Meirelles diretamente para Awazu.

 

O presidente do BC recomendou ao diretor que, independente das dificuldades que venha a enfrentar no decorrer do seu trabalho, o importante é o reconhecimento da sociedade. "O que vale a pena é o reconhecimento da população. Tanto que o presidente do BC chegou a ventilar a possibilidade de seguir o caminho eleitoral", disse ele, bem humorado.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.