Novo IPCA refletirá resultados da pesquisa do IBGE

O novo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - refletindo a mudança nos hábitos de consumo dos brasileiros - deverá ser lançado entre o fim de 2006 e o início de 2007. O indicador refletirá os resultados da POF 2002/2003: maior peso das despesas de habitação, que subiram fortemente nos últimos anos, e uma fatia menor para a alimentação, que puxou a inflação média para baixo até o ano passado.A cobertura do novo indicador será nacional e abrangerá as áreas urbanas e rural. A nova ponderação do IPCA ainda será definida. Especialistas em inflação indicam, contudo, que independente da realização da POF, não deverá haver alterações profundas, porque o próprio índice atualiza, parcialmente, os pesos dos gastos."As ponderações do IPCA já estão mais próximas das mudanças da POF. Isso não deverá gerar mudanças muito negativas nos próximos anos", disse o membro do conselho consultivo de preço do IBGE, Luiz Riberto Cunha.Em abril, o peso da alimentação no IPCA era de 23,3% e de habitação, 16,6%. Apenas para efeito de comparação, nas mesmas regiões do IPCA, os pesos atuais se inverteriam e seriam de 16,5% para alimentos e 20,2%, habitação. O presidente do IBGE, Eduardo Nunes, ressalta que a inflação dos próximos anos dependerá do confronto de cada grupo de produtos dentro do IPCA e de variações de preços que não são possíveis de prever.Coleta em 2006Os dados da POF também servirão para atualizar o chamado Sistema de Contas Nacionais do IBGE, que contemplam os cálculos do Produto Interno Bruto (PIB), Rendas Nacional, Capacidade de Financiamento da Economia e outros indicadores. Atualmente o IPCA é apurado em nove regiões metropolitanas mais Brasília e Goiânia, sem a área rural. A coleta de preços para o novo IPCA deverá começar em 2006. O tempo de duração exato do projeto dependerá do orçamento do IBGE para os próximos dois anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.