Adrees Latif/Reuters
Adrees Latif/Reuters

Novo iPhone da Apple pode ter ajudado exportações da China

Exportações da China em setembro recuaram menos do que em agosto; em compensações, importações despencaram 20,4%

O Estado de S. Paulo

13 de outubro de 2015 | 11h53

PEQUIM - O resultado das exportações da China em setembro pode ter sido impulsionado pelos embarques do lançamento global de novos modelos de smartphone, afirmou o banco ANZ em nota. A instituição não especificou que telefones celulares afetaram as exportações chinesas, mas é muito provável que tenha sido o novo iPhone 6S da Apple, lançado e distribuído no mês passado.

As exportações chinesas recuaram 3,7% em setembro na comparação com igual mês do ano passado, após uma queda de 5,5% em agosto. O dado mais recente veio melhor que a previsão dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal, que era de queda de 6,5% na comparação anual.

Já as importações recuaram 20,4%, em ritmo mais forte do que a baixa projetada de 16,5%. O superávit comercial no mês passado foi de US$ 60,3 bilhões, ante previsão de US$ 47,6 bilhões.

O resultado da balança comercial da China foi considerado misto. No país, as bolsas fecharam em alta moderada. No Brasil, o dado fraco das importações impacta o dólar, que tem um dia de forte alta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.