Novo IR deixa mais isentos e reduz retenção na fonte

Quando receber o salário de janeiro, o trabalhador assalariado sentirá os efeitos da correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física que entra em vigor nesta terça. Verá que o desconto na fonte é um pouco menor.Os que ganham entre R$ 10.800 e R$ 12.696 por ano vão perceber que não pagarão mais IR na fonte, porque estarão na faixa dos isentos. Antes, eles descontavam 15% da faixa acima de R$ 10.800.Em compensação, a declaração de ajuste que é feita anualmente não terá qualquer correção neste ano, pois se refere ao exercício de 2001, em que valiam ainda as normas antigas.A correção somente será aplicada a partir de 2003, nas declarações de ajuste relativas ao exercício de 2002. Nas negociações para o acordo de correção da tabela feitas pelos líderes partidários no Congresso, esse ponto ficou muito claro. Fazendo planosCom a confirmação da correção da tabela do Imposto de Renda em 17,5%, os contribuintes já pensam no que fazer com a economia. Alguns deles, entretanto, não acreditam que os valores serão significativos em seus orçamentos.?Isso vai atualizar o imposto, mas não acho que o ganho será considerável?, diz o analista administrativo Juan Hugo Reves. Ele ainda não calculou quanto vai deixar de pagar por mês, ao passar da faixa de alíquota de 27,5% para a de 15%, mas acredita que a economia poderá ser maior na declaração anual.Reves espera que a restituição do imposto seja maior do que os R$ 1,8 mil que recebe atualmente, quando relacionar as despesas, também corrigidas, com os dependentes (sua mulher e filho).A secretária Marli Veiga Lobato, que recebe um salário de R$ 1,96 mil, espera economizar cerca de R$ 43 por mês, segundo cálculos preliminares que fez com colegas.Como Reves, ela vai passar da faixa de 27,5% para a de 15%. ?Dá para ir ao cinema e comer uma pizza por mês?, brinca. A secretária explica que o desconto não fará uma grande diferença em seu orçamento. ?Obviamente é um ganho, mas não é nada excepcional?, acredita. ?Creio que o benefício será maior para quem pagava 15% e agora ficará isento.?Já a diretora de creche municipal, Maria Rosejane Oliveira, que recebe cerca de R$ 2 mil mensais, vai passar também a pagar a alíquota de 15%. Ela acompanhou as negociações sobre o IR no Congresso pelos jornais e, na semana passada, procurou seu contador para saber se estaria incluída na mudança.Ainda não fez as contas, mas já sabe que vai aplicar a economia no plano de saúde da mãe, de 72 anos e sua dependente, e na compra de remédios.?Trabalho com orçamento doméstico e R$ 20 fazem muita diferença.? Segundo o economista José Roberto Ribeiro, da Assiste Assessoria Contábil, os contribuintes devem economizar, no máximo, R$ 63,20 mensais. ?A mudança vai beneficiar principalmente quem recebe até R$ 2,6 mil?, explica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.