Novo PIB não altera muito a meta de superávit, diz Bernardo

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou nesta quarta-feira, 28, que a revisão do Produto Interno Bruto (PIB) do ano passado de 2,9% para 3,7% não poderá mudar muito a meta de superávit primário do setor público de 2007. Nesta quarta, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou a variação revisada do PIB de 2006 baseada em sua nova metodologia. "A mudança do PIB não quer dizer que vai mudar a nossa receita e dificilmente vai mudar a despesa", disse Bernardo. "O resultado não vai poder mudar muito."O ministro disse ainda que o governo enviará a proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) ao Congresso no prazo previsto, dia 15 de abril. "Os estudos já estão adiantados", disse. Ele salientou que, nos próximos dias, vai conversar com os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e da Casa Civil, Dilma Rousseff, para discutir possíveis impactos do novo PIB no projeto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.