Novo plano da Grécia parece atender BC europeu, diz Trichet

Segundo presidente da instituição, garantias do novo pacote devem proteger o banco em um possível calote seletivo da dívida grega

Regina Cardeal, da Agência Estado,

27 de julho de 2011 | 13h17

Os termos do novo pacote de ajuda de 109 bilhões de euros para a Grécia parece estar de acordo com a mensagem do Banco Central Europeu (BCE) contra criar um evento de crédito ou forçar a participação dos detentores de bônus privados no acordo, disse o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet. "Nós dissemos que era necessário evitar um ''evento de crédito'' e, no momento, parece que conseguimos fazê-lo", disse Trichet em entrevista a ser publicada nesta quarta-feira, 27, pela revista francesa Le Point.

Além disso, as garantias fornecidas por meio do novo pacote para o BCE devem proteger o banco central no evento de um default seletivo (moratória parcial) da dívida grega, acrescentou Trichet. Críticos acusam o BCE de ceder à demanda dos líderes da zona do euro no novo plano para a Grécia. Trichet defendeu a força do euro como moeda e disse que a divisa "nunca esteve em risco", mesmo quando a estabilidade financeira da zona do euro foi ameaçada pelos problemas fiscais da Grécia.

"O euro, como moeda, é sadio e confiável, e não é afetado pelas pressões dos riscos soberanos", disse Trichet. Ele reiterou que a Grécia deve seguir avante com as medidas de austeridade e o plano de privatização acertados. Fora a Grécia, a zona do euro como um todo enfrenta menos problemas fiscais do que os Estados Unidos e o Japão, embora precise dar passos "tremendos" para melhorar sua governança, opinou Trichet. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciaplanoBCETrichet

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.