Novo presidente da CVM quer regra para uso de pesquisa

O uso de pesquisas eleitorais para especulação no mercado financeiro vai entrar na pauta das primeiras reuniões do colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) com o novo presidente da autarquia, Luiz Leonardo Cantidiano. O executivo toma posse na segunda-feira, em uma cerimônia no BNDES, que contará com a presença do ministro da Fazenda, Pedro Malan. Cantidiano pretende colocar em votação no colegiado a criação de uma regra que proíba as instituições financeiras de operar no mercado enquanto não divulgarem o resultado de pesquisas eleitorais. "Quando a pesquisa é para uso próprio, tudo bem, não será divulgada. Mas quando é para divulgar, se alguém estiver operando com conhecimento antecipado do resultado acho que isso pode ser uma irregularidade", afirmou. José Luiz Osorio, que deixa a presidência da CVM na segunda-feira e ficará de quarentena até fevereiro de 2003, também acredita que a autarquia deva se posicionar sobre essa questão. "Não sei se seria como um parecer de orientação ou como uma Instrução." Osorio ressaltou que não é simples investigar casos de manipulação do mercado com pesquisas, mas admitiu que há sinais que apontam para uso irregular.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.