Novo presidente da Eletrobrás defende política do governo

O novo presidente da Eletrobrás, José Antônio Muniz Lopes, assumiu hoje o cargo defendendo a política do governo para o setor elétrico, que prioriza a modicidade tarifária e a universalização da energia. Em seu discurso, Lopes emocionou-se ao lembrar do "companheiro Sarney", referindo-se ao ex-presidente e atual senador pelo Amapá, José Sarney, e do laço que os uniu após um acidente que o deixou quase cego. Lopes ainda tem sérios problemas de visão, devido ao acidente. Ele agradeceu ao PMDB por ter insistido em seu nome para o cargo de presidente da holding estatal de energia elétrica.Em rápida entrevista à imprensa, logo após o seu discurso de posse, Muniz comentou que "começará a pensar, discutir e aprofundar os estudos para o lançamento de ADRs (recibos de ações negociados nos EUA) da Eletrobrás na bolsa de Nova York a partir de maio".Ele também defendeu a construção da terceira usina hidrelétrica do Rio Madeira, em território boliviano. "Ao invés de Itaipu e Garabi, que ficam na divisa entre dois países, essa usina poderia se situar inteiramente em território boliviano", argumentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.