Novo presidente da UE é contra revisão de regras orçamentárias

O novo presidente da Comissão da União Européia, José Manuel Barroso, indicou que não apóia os pedidos para revisão das regras orçamentárias para os países da zona do euro. Durante sua primeira entrevista coletiva desde que assumiu o cargo na segunda-feira, Barroso afirmou estar disposto a trabalhar com os governos para fazer algumas mudanças e tornar as regras mais "críveis". Mas ele disse que o limite sobre os déficits públicos deve ser mantido em 3% do PIB, o principal elemento do pacto de Estabilidade e Crescimento da UE."Não achamos que é certo colocar em dúvida a estabilidade deste pacto", disse Barroso em resposta a perguntas sobre uma carta enviada pelo primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, para o governo holandês, atual detentor da presidência da UE. Na carta, Berlusconi pede uma revisão das regras orçamentárias sob o pacto. "Eu não estou informado sobre a carta que o Sr. Berlusconi enviou", disse Barroso. Os governos da UE estão discutindo como tornar o pacto mais flexível. Alguns, como a Alemanha e a França, querem excluir certos tipos de gastos dos cálculos do déficit. Contudo, até agora, a Comissão tem insistido em manter a regra que o teto de 3% pode apenas ser quebrado durante períodos de declínio da atividade econômica. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.