Novo protesto rural argentino é 'iminente'--produtores

Dirigentes rurais argentinosafirmaram na quarta-feira que um novo protesto de produtores é"iminente" depois do fracasso de uma reunião com o governo paraalterar o imposto sobre a exportação de grãos. O setor rural e o governo tentavam evitar que os milharesde produtores que estavam próximos a estradas voltassem abloqueá-las como aconteceu em março, quando uma paralisaçãodeixou várias cidades sem abastecimento, impedindo a circulaçãode grãos e carnes em um dos principais exportadoresagropecuários do mundo. Mas, após uma aproximação na terça-feira, novas tensõessurgiram na quarta-feira e os dirigentes disseram que naspróximas horas haverá um protesto. "É praticamente iminente o processo de protestosagropecuários. É muito possível que se inicie outro protesto emhoras", disse Eduardo Buzzi, presidente da Federação AgráriaArgentina, depois de sair da reunião. O conflito começou em março, quando o governo impôs umsistema móvel de impostos às exportações de grãos, o queimplicou em uma forte alta da taxa para a soja e o girassol eque levou o setor a três semanas de protestos. "É preciso avaliar e ver a metodologia, a liderançaagropecuária quer abrir caminho para o espírito de protestoexistente em dezenas de milhares de produtores", completouBuzzi. (Por Nicolás Misculin, reportagem adicional de LucasBergman)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.