coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Novos focos de aftosa podem ter surgido no MS

Exames para identificação da febre aftosa realizado em bovinos do Mato Grosso do Sul mostrou o resultado "reagente" para a doença. Os animais são de fazendas localizadas fora da área de risco para a doença, onde focos de aftosa foram diagnosticados em outubro do ano passado. A informação é do superintendente Federal de Agricultura do Mato Grosso do Sul, José Antônio Felício.Segundo José Antonio Felício, que pediu demissão quinta-feira do cargo, o fato dos primeiros exames terem dado resultado "reagente" não significa que o vírus está presente na área. "Os resultados são inconclusivos", afirmou. Uma segunda bateria de exames está sendo realizada no Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro), de Porto Alegre, para comprovar, ou não, a contaminação pelo vírus da aftosa. Os resultados devem sair até o fim desta semana.O superintendente não soube dizer se, tecnicamente, este poderia ser considerado um novo foco (em caso de sorologia positiva), por se tratar de uma área fora da região de risco. De acordo com Felício, os animais com sorologia reagente são provenientes dos municípios Japorã, Eldorado e Mundo Novo, onde a doença apareceu no ano passado, mas estão fora da área considerada de risco dentro desses municípios. "Os exames que têm sido realizados dentro da área de risco e os exames dos animais sentinelas todos deram resultado negativo", explica.A notícia do possível reaparecimento da doença ocorre justo no momento em que veterinários russos visitam o Mato Grosso do Sul para verificar como o estado está combatendo a doença. Segundo Felício, a missão está nesta segunda em Japorã e segue na terça para Eldorado e Mundo Novo. Demissão José Antônio Felício apresentou seu pedido de demissão ao ministro da Agricultura, Luís Carlos Guedes Pinto, na última quinta feita, com o argumento de que não pretende participar da campanha do Partido dos Trabalhadores (PT) para as próximas eleições. "Ocupo um cargo comissionado vou me retirar para criar não constrangimentos ao partido", afirmou. Ele este à frente da Superintendência por 14 meses, assim que for exonerado reassumirá seu escritório de consultoria nas áreas tributária e financeira.

Agencia Estado,

07 de agosto de 2006 | 16h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.