Novos hábitos de cuidado com as roupas favorecem a sustentabilidade
Conteúdo Patrocinado

Novos hábitos de cuidado com as roupas favorecem a sustentabilidade

Lançamento de máquina de lavar com tecnologias que potencializam a durabilidade das roupas colabora com um ciclo mais sustentável na moda

Electrolux, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

02 de junho de 2022 | 07h30

Na contramão do fast fashion, que ganhou o setor de vestuário nos últimos anos, cada vez mais consumidores têm buscado hábitos de cuidados com as roupas que proporcionam maior durabilidade às peças e incentivam a redução no consumismo exacerbado. Para Juliane Mussarelli, gerente de Marca da Electrolux no Brasil, essa tendência mundial chegou ao País para ficar e tem ajudado a repensar as relações de sustentabilidade em todos os aspectos. “As pessoas estão buscando mais conexão com seu propósito de vida e, muitas vezes, esse propósito está conectado em cuidar do mundo em que se vive e repensar a quantidade de produtos consumidos”, aponta.

Juliane destaca que, embora peças de vestuário não tenham prazo de validade, o possível desgaste causado pela lavagem inadequada reduz seu tempo de vida, o que faz com que a companhia busque inovações constantes nesse quesito. “Nosso compromisso está relacionado a ajudar o consumidor a cuidar da roupa para que ela dure mais e favorecer uma vida mais prática e fácil para esse cuidado.”

Uma das soluções mais recentes da marca são as Máquinas de Cuidar, encabeçadas pela lavadora Electrolux Perfect Care (LEH17), com painel touch e um sistema exclusivo de lavagem com vapor que ajuda a tirar as manchas sem precisar esfregar, um hábito que desgasta as fibras dos tecidos. A linha ainda favorece o uso eficiente dos insumos químicos, como sabão e amaciantes, e diminui o volume de água gasto por ciclo de lavagem.

Segundo Juliane, os novos produtos são um exemplo de como a Electrolux tem se pautado cada vez mais pela sustentabilidade em suas ações. “Esse é um dos valores da companhia e está direcionando nossas ações. Como indústria, temos o potencial de informar as pessoas sobre o consumo consciente e como cada um de nós pode fazer sua parte nesse processo.”

Repensando as práticas de cuidado

Usado desde os tempos mais remotos, quando a lavagem era feita em rios e as peças precisavam ser batidas em pedra para eliminar a sujeira, o atrito é ainda hoje um método utilizado pelas máquinas para limpar as roupas. Quando não utilizado corretamente, porém, ele pode se tornar um dos principais vilões no desgaste dos tecidos. Por isso, uma das recomendações iniciais da companhia para quem deseja aumentar o tempo de vida das roupas é utilizar adequadamente as funções oferecidas pelas lavadoras. “Existe um hábito do consumidor de não usar todas as soluções que a máquina disponibiliza, como as variedades de programas de lavagem. Mas cada uma dessas opções foi pensada para atender a uma dor específica do consumidor”, destaca Juliane.

Outra indicação é usar a quantidade certa de insumos químicos e evitar o hábito de cortar as etiquetas das peças, pois são elas que oferecem o “manual de instruções” de lavagem, evitando que uma roupa mais delicada seja colocada em um modo de lavagem  mais pesado, por exemplo.

No que diz respeito ao consumo consciente, Juliane defende que, embora seja necessária uma reanálise da indústria da moda como um todo, é preciso que cada pessoa comece fazendo sua parte. Nesse sentido, ela recomenda fazer duas perguntas-chave antes de cada compra: “Será mesmo que eu preciso dessa peça? E, se precisar, de que maneira posso cuidar para que ela dure mais tempo?”, completa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.