Novos planos de previdência em dezembro

Dezembro é o mês do lançamento de novos Planos Geradores de Benefícios Livres (PGBLs), uma modalidade de plano de previdência privada. Para vender o produto, os bancos usam como argumentação de venda: o benefício fiscal, com dedução do Imposto de Renda (IR), e o pagamento do 13.º salário. Mas é preciso cuidado: na análise geral do funcionamento de um PGBL, o produto tem muitas desvantagens em relação ao fundo de investimento.O benefício fiscal é exemplo disso. Não há um desconto sobre o imposto a ser pago. Na verdade, o que se tem é que, na declaração do IR, existe a possibilidade de o participante poder deduzir 100% das contribuições pagas à previdência privada, até o limite de 12% da sua renda anual. Nesse caso, a dedução é sobre a renda, de forma que o imposto pago é menor porque a renda foi reduzida. Vale lembrar que, no resgate dos benefícios ou do valor total, o recolhimento do IR vai ocorrer normalmente, como em qualquer renda. Ou seja: o valor recebido pela previdência privada é somado às demais rendas e paga imposto de acordo com a tabela progressiva normal. Veja mais informações nos links abaixo.Taxa de carregamento compromete aplicaçãoO participante do PGBL tem dois custos básicos: a taxa de carregamento sobre as contribuições mensais e aportes, que oscila entre 1% e 5%, e a taxa de administração, que varia de 1,5% a 5% ao ano - sendo que existem empresas que cobram até 10% ao ano. Esta taxa é cobrada sobre o capital total - o que inclui os rendimentos. Dessa forma, o valor que efetivamente será capitalizado é reduzido pela cobrança dessas taxas.Novos produtosO recém-privatizado Banespa está lançando o Previ Mix Banespa. O fundo exige um aporte mínimo de R$ 85,00 e taxa de administração de 3% ao ano. A taxa de remuneração do plano sobre o montante investido corresponderá a 3% ao anoO BankBoston Asset Management está oferecendo dois tipos de PGBL: um destinado a clientes com perfil conservador, atrelado 100% em renda fixa, e outro com carteira mista, com 70% renda fixa e 30% renda variável. Mas a taxa de remuneração é igual para os dois tipos, de 2,5% ao ano. A Sul América Investimentos lançou um produto inédito no mercado, o quatro em um, um PGBL que dá ao investidor quatro opções de investimento para obter sua aposentadoria em um único contrato. Entre as novidades, o segurado poderá fazer alterações nos investimentos por correspondência e, no futuro, pela Internet. As quatro opções de investimento do PGBL são as seguintes: uma modelagem com 100% em renda fixa e as outras três mistas, sendo uma carteira com 15% de renda variável, uma com 30% e outra com 49%.Veja no link abaixo a cartilha para investimento em planos em previdência privada do Finanças Pessoais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.