Noyer diz que testes devem ajudar fluxo de créditO

O integrante do conselho do Banco Central Europeu (BCE) Christian Noyer disse neste domingo que as avaliações sobre a saúde dos bancos europeus devem ajudar a aumentar o fluxo de crédito, mas isso não diminui a necessidade de ações da autoridade monetária.

AE, Estadão Conteúdo

26 de outubro de 2014 | 11h53

Em declarações a jornalistas em Paris, Noyer disse que a avaliação de qualidade de ativos e os testes de estresse eram uma forma de melhorar a transmissão de política monetária do BCE.

"Mas isso não é o único e nada faz para reduzir a necessidade de ações de política monetária que tomamos", afirmou Noyer, que dirige o Banco da França.

Ainda assim, Noyer expressou esperança de que uma amenização das preocupações do mercado sobre bancos europeus permitirá que os credores desempenhem um papel mais dinâmico no financiamento da economia.

"Em toda a zona do euro, é de se esperar, com o exercício concluído e as ações corretivas tomadas em consideração, que as preocupações que alguns podem ter tido sobre os bancos vão desaparecer, o que nos permite ter uma economia com um pouco mais direção".

Quanto aos bancos franceses, Noyer também disse que os resultados positivos do teste de estresse "provam que o modelo universal de bancos franceses, a diversificação da sua atividades e gestão de risco rigorosa são bens fortes que lhes permitem apresentar balanços sólidos, capazes de suportar choques muito severos". Fonte: Market News International.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaBancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.