Núcleo da inflação do Japão sobe 1,2% em março

O núcleo do Índice de Preços ao Consumidor (CPI) do Japão teve alta de 1,2% em março, em comparação com o mesmo período do ano anterior, devido à alta dos preços da energia e dos alimentos, disse nesta sexta-feira o Ministério dos Negócios Internos e Comunicações. É a maior alta do índice desde março de 1998, quando registrou elevação de 1,8%. O núcleo do CPI, que exclui os voláteis preços dos alimentos frescos, avançou pelo sexto mês consecutivo, seguindo uma alta de 1% em fevereiro. O resultado ficou em linha com a previsão dos analistas ouvidos pela Dow Jones Newswires, que estimaram alta de 1,2%. Autoridades japonesas e analistas expressaram preocupação de que a recente inflação tende a não dar bons sinais para a economia do país, porque os preços estão subindo pelas razões erradas. "A alta atual é de uma natureza indesejável. Ela não está sendo causada por uma forte demanda de consumidor, mas sim pela elevação dos preços", disse o ministro da economia, Hiroko Ota, em uma conferência à imprensa. Os preços dos produtos alimentícios subiram 1,8%, em termos anualizados, enquanto que os da energia avançaram 9,5%, de acordo com os dados do ministério.O Índice de Preços ao Consumidor de Tóquio, considerado uma referência para o os preços nacionais, subiu 0,7%, em termos anualizados, após registrar alta de 0,6% no mês anterior. O CPI de Tóquio superou as estimativas dos economistas para um aumento de 0,5%. As informações são da Dow Jones

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.