Núcleo dos preços ao produtor assusta nos EUA

Os preços ao produtor subiram menosdo que o esperado em abril, 0,2 por cento, depois que o custoda gasolina caiu, mostrou um relatório do governo divulgadonesta terça-feira. O núcleo da inflação, porém, teve forteavanço. Economistas ouvidos pela Reuters esperavam que o índice--que mede o custo no atacado-- subisse 0,4 por cento após altade 1,1 por cento em março. O núcleo dos preços ao produtor, que exclui os custos deenergia e alimentos, teve alta de 0,4 por cento. A taxa foiduas vezes maior do que o previsto. O acumulado do núcleo nosúltimos 12 meses avançou 3,0 por cento, maior alta desdedezembro de 1991. "O núcleo do PPI veio alto, tanto em termos absolutosquanto em relação às expectativas", disse Pierre Ellis,economista da Decision Economics, em Nova York. Os preços da gasolina caíram 4,6 por cento, mas acumulamalta de 23 por cento ao longo do último ano. Em termos anuais,o índice geral de preços ao produtor registra alta de 6,5 porcento. Os preços de alimentos ficaram inalterados em abril, mesmoque o preço do arroz tenha saltado 17,4 por cento, maior altadesde 1993. O aumento dos custos de energia tem pressionado os preçosno atacado e contaminado outras leituras da inflação de um modopreocupante para o Federal Reserve, mesmo que o banco centralnorte-americano tenha cortado os juros para impulsionar ocrescimento em meio à crise imobiliária. "Não há nenhum bom presságio aqui para os consumidores. Nãovamos ver nenhum alívio no curto prazo", disse Joel Naroff,presidente da Naroff Economic Advisors, em Holland,Pensilvânia. "Isso está colocando mais pressão sobre as empresas paraelevar os custos. É problemático na desaceleração econômica queestamos agora. Isso vai trazer mais notícias negativas para oslucros e a inflação", disse. Outros dados divulgados nesta terça-feira revelaram que osetor de varejo continua a sofrer com o patamar recorde dospreços da gasolina e com a menor frequência de compras porparte dos consumidores. Foi a terceira semana seguida de quedanas vendas do varejo. Outro relatório, do Federal Reserve de Chicago, mostrou quea atividade econômica ficou mais fraca em abril em uma série desetores. O Índice de Atividade Nacional do Fed de Chicago,compilado com base em um conjunto de dados econômicos, recuoude -0,98 em março para -1,17. A média trimestral móvel do índice caiu para o menor níveldesde novembro de 2001, quando os Estados Unidos emergiam daúltima recessão, e mostrou que a economia pode ter se contraídopelo quinto mês consecutivo. (Reportagem de Alister Bull)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.