Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Número 2 do FMI vê recuperação lenta da economia

A economia global está caminhando na direção de uma recuperação sustentável, mas dados os riscos de uma nova desaceleração, ainda é cedo para retirar os estímulos econômicos, afirmou a segunda maior autoridade do Fundo Monetário Internacional.

MARTIN DOKOU, REUTERS

20 de novembro de 2009 | 11h11

"Nós achamos que estamos rumo ao crescimento sustentável, mas essa recuperação será relativamente moderada e relativamente lenta", disse John Lipsky, subdiretor-gerente do FMI.

"Ao mesmo tempo, você não pode descartar os riscos de uma nova estagnação."

Preocupações sobre o futuro da economia mundial tem deixado o mercado global em alerta nos últimos dias, em meio ao crescimento das taxas de desemprego nos Estados Unidos e de especulações de que algumas economias europeias poderiam mergulhar em recessão mais profunda em 2010.

O Fundo vem instando países a não flexibilizar suas políticas monetárias para implementar o que se convencionou chamar de estratégia de saída.

Lipsky afirmou que, embora fosse o momento de pensar sobre a suspensão de estímulos à economia, nenhuma ação deveria ser tomada ainda e que os governos deveriam instituir estímulos adicionais já planejados para 2010.

Sobre a moeda norte-americana, disse: "o dólar está um pouco na parte forte, mas não tanto como deveria estar."

Tudo o que sabemos sobre:
FMIRECUPERACAOECONOMIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.