Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Número de empregos com carteira cai 82% em relação a 2004

O número de empregos com carteira assinada no País criados em novembro foi de 13.831, o que representa um crescimento de 0,05% em comparação com os números registrados em outubro. A informação é do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foi divulgada hoje pelo ministro do Trabalho, Luiz Marinho. Apesar do saldo positivo de 0,05%, houve uma redução de 82% em relação ao resultado de empregos formais criados em novembro do ano passado, que foi de 79.022.Apesar disso, o ministro do Trabalho, Luiz Marinho, comemorou o dado afirmando que "mesmo sendo o pior novembro do governo Lula", em termos de criação de empregos, foi ainda melhor que o saldo líquido de novembro de 2002 - último ano do governo Fernando Henrique Cardoso, quando houve uma perda líquida de 11.751 empregos."Tivemos um declínio forte no PIB (Produto Interno Bruto) no terceiro trimestre, o que certamente está influenciando este resultado", disse o ministro. Na avaliação de Marinho, houve uma expectativa ruim em relação ao final do ano, com os primeiros sinais de desaquecimento da economia no terceiro trimestre, e por isso houve uma redução nas contratações formais neste mês de novembro. "Mas acredito que em dezembro haverá retomada nas contratações", completou Marinho.Perspectiva de queda em 2005Marinho disse que espera fechar o ano de 2005 com a criação líquida de 1,2 milhão de empregos formais no País. Isso representará uma redução de 36% em relação ao resultado líquido de 2004, quando foram criados 1,875 milhão. Entre janeiro e novembro deste ano, foram criados 1,540 milhão de empregos com carteira assinada.

Agencia Estado,

22 de dezembro de 2005 | 12h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.