Número de empresas exportadoras cai pela 1ª vez desde 1997

O número de empresas brasileiras exportadoras caiu pela primeira vez em julho deste ano, após crescimentos consecutivos desde 1997. O vice-presidente da Associação Brasileira de Comércio Exterior (AEB), José Augusto de Castro, usou os dados do Ministério do Desenvolvimento divulgados na semana passada e constatou que, enquanto no acumulado de janeiro a julho de 2004 havia 15.721 empresas exportando no País, de janeiro a julho deste ano esse número recuou para 15.481.Segundo ele, o ano de 1997 chegou ao fim com registro de 13.850 exportadoras e esse volume só cresceu desde então. O vice-presidente da AEB atribui ao câmbio desfavorável à saída das empresas do mercado externo.Segundo ele, a retirada ocorre especialmente no caso das pequenas e médias empresas, que custaram a conquistar um espaço no cenário internacional e, sem o incentivo do câmbio, não conseguem manter a clientela.Em conseqüência, cresce cada vez mais a concentração das exportações por empresa no Brasil. Em 1997, eram exportados US 3,8 milhões por empresa; em 2004 foram US$ 5,18 milhões/empresa e a expectativa é que, em 2005, sejam US$ 6,29 milhões por empresa.SuperconcentraçãoPara Augusto de Castro, esses dados revelam que "está havendo uma superconcentração e o câmbio contribui para isso". O argumento é que, mesmo com o crescimento forte do valor exportado nos últimos anos, o ideal é que o número de empresas exportadoras também tivesse crescido, com alterações mais sutis do valor embarcado por empresa. Segundo ele, o mercado externo é importante para fortalecer as empresas e, portanto, a concentração é uma má notícia para o setor produtivo do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.