Número de empresas golpistas cresce 6,8% em 2005

Estudo divulgado nesta sexta-feira pela Equifax revelou aumento de 6,8% no número de empresas golpistas no País no ano passado. Segundo o levantamento da companhia de análise de crédito, foi verificada a ação de 1.079 empresas fraudulentas entre janeiro e dezembro de 2005, contra 1.010 no mesmo período de 2004.De acordo com o Departamento de Pesquisas Especiais da Equifax, que conduziu a pesquisa, o prejuízo com a ação do golpe pode chegar a R$ 64 milhões. Com isso, foram gerados 28,1 mil títulos protestados, um aumento de 24% em relação a 2004, além de 17,7 mil unidades de cheques devolvidos por falta de fundos, o que representou um crescimento de 43%, na mesma base de comparação.A Equifax explicou que conseguiu reunir informações sobre as empresas golpistas observando sua própria base de 28 mil clientes, que foram assediados pelas companhias fraudulentas. Segundo o levantamento, os setores mais assediados continuam sendo os de materiais da construção, de telefonia, alimentação e materiais elétricos. Porém, o segmento de leasing e financiamento de veículos também foi um dos atingidos no período.RegiõesA pesquisa apontou também que a região Sudeste apresentou um aumento na presença de empresas golpistas, saltando de 581, em 2004, para 609, em 2005. Nesta região, houve um montante maior em valores negociados, com cerca de R$ 40,3 milhões, ou R$ 10,2 milhões a mais que o registrado no ano anterior.A região Norte registrou um crescimento no volume negociado bastante expressivo e atingiu o valor de R$ 1,7 milhão, aumento de R$ 987 mil, na comparação com 2004, embora tenha verificado queda na presença de empresas golpistas, de 29 para 21 casos.A região Sul também mereceu destaque, já que voltou a ter um crescimento no registro de empresas golpistas, de 189 para 215. O volume em valores negociados subiu, de R$ 8,8 milhões para R$ 12,3 milhões, entre 2004 e 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.