Número de milionários no Brasil cresce 7,1% em 2004

O número de milionários no Brasil cresceu 7,1%, de 92 mil para 98 mil, entre 2003 e 2004, segundo o relatório sobre a riqueza mundial elaborado pelo Merrill Lynch em parceria com a consultoria Capgmeni. A pesquisa monitora o universo de indivíduos com riqueza líquida de pelo menos US$ 1 milhão disponível para investir no mercado financeiro. Os bens imóveis são desconsiderados.O Brasil, segundo a pesquisa, puxou o crescimento no número de milionários, ou HNWI (sigla em inglês para high net Worth individuals), na América Latina. Na região, o crescimento de HNWI foi de 6,3% em 2004, ante 1,3% em 2003. "No entanto, a riqueza (na América Latina) continua altamente concentrada", observa.O texto lembra que o Brasil, que responde por cerca de um terço do PIB sul-americano, continuou dominando o cenário econômico da região, com a política monetária e fiscal do governo ajudando a impulsionar o crescimento.Países do BricO relatório destaca a emergência dos países do chamado Bric (Brasil, Rússia, Índia e China) como uma força econômica, que perfaz 41% da população do mundo, mas apenas 8% de seu PIB. "Embora a produção combinada destas economias seja uma pequena fração do PIB mundial hoje, os países do Bric são significativos por causa de seu tamanho e do rápido ritmo de crescimento", afirma o relatório.Os países do Bric deverão superar as economias do G7 em termos de produção até 2040, segundo previsão do Goldman Sachs citada pelo relatório. Sobre o Brasil, a pesquisa ressalta que os três pilares de seu programa econômico, o câmbio flutuante, o regime de metas de inflação e a política fiscal apertada, permitiram que o Brasil superasse suas metas fiscais em 2004 e reduzisse a dívida do governo.Dados mundiaisNo mundo, a riqueza líquida dos milionários cresceu 8,2% em 2004, para US$ 30,8 trilhões, de acordo com a pesquisa. O número de ricos aumentou 7,3% para 8,3 milhões, puxado pela América do Norte, onde houve crescimento de 10% para 2,7 milhões de ricos, superando os 2,6 milhões da Europa. A taxa de crescimento na Ásia-Pacífico, de 8%, para 2,3 milhões de ricos, foi o dobro da Europa.James P. Gorman, vice-presidente executivo do Merrill Lynch & Co, afirma em comunicado do grupo que "os dois principais motores da criação de riqueza pessoal - o crescimento econômico e a capitalização de mercado - trabalharam juntos para gerar o mais forte crescimento em riqueza líquida em mais de três anos.Depois de 2004, que registrou o mais forte crescimento econômico mundial em 20 anos, a expansão deve desacelerar em 2005, diz o relatório. Fatores como o aumento da inflação e dos juros devem pesar sobre o crescimento global e afetar o valor dos ativos financeiros, prevê o Merrill Lynch. O relatório projeta que a riqueza líquida dos milionários crescerá 6,5% ao ano nos próximos cinco anos, para atingir US$ 42,2 trilhões até 2009.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.