finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Número de trabalhadores autônomos sobe e atinge 19% do total

Segundo IBGE, dos 21,3 mi de ocupados em março, 4,1 mi trabalham por conta própria, maior número desde 2002

JACQUELINE FARID, Agencia Estado

30 de abril de 2008 | 10h06

Dos 21,3 milhões de trabalhadores ocupados nas seis principais regiões metropolitanas do País em março, 4,1 milhões eram trabalhadores por conta própria, que representavam 19,2% do contingente total de ocupados, segundo dados divulgados pelo IBGE nesta quarta-feira, 30. Este é o maior número de autônomos registrado para meses de março desde 2002. O grupo dos que trabalham por conta própria é considerado como de inserção informal no mercado de trabalho pelo instituto.       Veja também:   Taxa de desemprego em seis capitais sobe e chega a 15% em março Índice de confiança da indústria cai 0,8% Confiança do empresário é a maior desde 2005, aponta CNI   O estudo mostra que o rendimento médio dos trabalhadores por conta própria era de R$ 1.013,50 em março. Aproximadamente 70% dos trabalhadores nessa forma de inserção recebiam menos de dois salários mínimos.   Do total de ocupados por conta própria em março, 54,5% eram brancos e 44,5% eram pretos e pardos. Os homens eram maioria nesta forma de inserção (60,8%), assim como as pessoas na faixa etária de 50 a 59 anos (22,4%). Entre os trabalhadores por conta própria, segundo o IBGE, predominam os níveis de instrução fundamental incompleto e o médio completo, com o nível superior, tendo participação menos expressiva.   Com relação ao indicador que aponta o tempo de permanência no trabalho, o estudo mostra que 81,1% dos trabalhadores estavam há dois anos ou mais nessa condição, porcentual bem mais elevado que o apurado para a população ocupada (68,6%) para a mesma faixa de tempo de permanência no trabalho.   Ainda de acordo com o estudo, os trabalhadores por conta própria estão concentrados principalmente nos grupos de atividade de comércio, reparação de veículos automotores e de objetos pessoais e domésticos e comércio a varejo de combustíveis (28,3% dos ocupados nesse grupo); outros serviços (24,7%) e da construção (17,5%).   Texto corrigido às 11h31. IBGE corrige os porcentuais do último parágrafo referentes a divisão dos autonômos por atividade.

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEtrabalhadores por conta própria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.