Números de celulares com nove dígitos funcionam sem problemas em SP, dizem operadoras

Diretor do Sindicato disse que por causa da quantidade de celulares existentes as chamadas podem não ser sempre perfeitas

Rodrigo Petry - Agência Estado,

29 de julho de 2012 | 13h29

São Paulo, 29 - Os 34 milhões de celulares da região metropolitana de São Paulo, atendidos pelo DDD 11, já funcionam com nove dígitos desde a 0h deste domingo. A reportagem da Agência Estado efetuou ligações de um telefone fixo ao longo da manhã para telefones celulares das operadoras Vivo, Claro, Oi e TIM, utilizando nove dígitos. As chamadas foram completadas com sucesso, embora, em algumas situações, mais de uma discagem tenha sido necessária.

O diretor executivo do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), Eduardo Levy, afirmou que os equipamentos das operadoras de telefonia não apresentaram problemas com a migração dos sistemas. "Pode ter acontecido algum problema pontual, que pode ser acertado ao longo deste domingo. Com a quantidade de celulares existentes, nem sempre as chamadas são perfeitas. Pode haver alguma perda, mas o comportamento está dentro da normalidade", afirmou.

Segundo Levy, a expectativa é de que os sistemas de telefonia funcionem normalmente nesta segunda-feira, quando o tráfego nas redes é mais intenso em relação ao domingo. Na sexta-feira, o gerente de interconexão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Adeilson Nascimento, admitiu que poderia ocorrer alguma "instabilidade" nos sistemas em razão do acréscimo do nono dígito na área de DDD 11. No entanto, ele afirmou que seria "difícil precisar por quanto tempo duraria".

Procuradas pela reportagem, Vivo, Claro, Oi e TIM afirmaram que os sistemas operavam normalmente neste domingo e que nenhuma grave ocorrência tinha sido registrada por volta do meio-dia.

Esgotamento. Atualmente, cerca de 42 milhões de números com oito dígitos estão à disposição das empresas para oferecer aos clientes da área de DDD 11. Segundo Nascimento, da Anatel, havia a possibilidade de um "esgotamento" das combinações em São Paulo até o final deste ano. Com o acréscimo do nono dígito, esse total atingirá 90 milhões de combinações, o que atenderia a demanda até 2025.

A mesma resolução que determinou a inclusão do nono dígito em São Paulo prevê a expansão para o restante do País, a partir de 2013, num cronograma ainda a ser definido pela Anatel.

Além de São Paulo, os códigos de áreas 21 (Rio de Janeiro), 31 (Minas Gerais), 51 (Rio Grande do Sul) e 81 (Pernambuco), nessa ordem, estão mais próximas do "esgotamento" de combinações.

O objetivo da expansão a outras áreas, porém, seria mais para uma padronização do que necessariamente pela falta de números, ao menos no curto prazo. "A padronização (com nove números) é importante para assimilação dos usuários", afirmou Nascimento.

Adaptação. A introdução do nono dígito na telefonia móvel passará por um período de adaptação. Entre os dias 29 de julho e 7 de agosto, nos dez primeiros dias, nenhuma ligação será interceptada e todas serão completadas, seja ela realizada com oito ou nove dígitos.

A partir de 8 de agosto, todas chamadas realizadas com oito dígitos para o DDD 11 serão interceptadas parcialmente pelas operadoras e os usuários receberão uma mensagem com a orientação da nova marcação, com nove dígitos.

No entanto, até 16 de setembro, as operadoras poderão decidir se vão completar ou não automaticamente a chamada com oito dígito, após a interceptação das ligações. Todas as interceptações serão encerradas, complemente, até 15 de janeiro de 2013.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.