bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Números do FED confirmam recuperação dos EUA

A produção industrial norte-americana registrou, em fevereiro, a maior alta desde junho de 2000, segundo relatório divulgado nesta sexta-feira pelo Federal Reserve (FED, o banco central americano), o que confirma que a economia dos Estados Unidos está no caminho da recuperação.O FEB informou que a produção nas fábricas, mineradoras e prestadoras de serviços públicos aumentou 0,4%. Considerando os 0,2% de alta em janeiro, esta é a primeira seqüência de dois meses em que o indicador se expande desde agosto e setembro de 2000. Apenas o setor manufatureiro - de maior peso no índice - registrou ganho de 0,3% no mês passado, igual ao verificado em janeiro.Capacidade industrialTambém houve aumento do uso da capacidade industrial das empresas americanas. Ela chegou a 74,8% em fevereiro, ante uma taxa revisada de 74,5% em janeiro, e é a maior desde outubro de 2001. Analistas previam uma recuperação menor, com média de ganho de 0,3% na produção industrial, enquanto o uso da capacidade industrial ficaria em torno de 74,3%.O desempenho da indústria em fevereiro também foi influenciado por uma melhora das empresas de serviços públicos, como geradoras de energia. A produção das utilities, como são conhecidas, aumentou 2,7% no mês, porque as temperaturas, no mês passado, recuaram para um patamar próximo a um nível considerado normal.JurosOutro relatório mostrou o maior nível do otimismo do consumidor em 15 meses, o que sustentatia um aumento dos gastos no quarto trimestre. Isso também deve levar o FED a elevar as taxas de juro. É esperado que, na semana que vem, na reunião do Comitê de Política Monetária do FED, seja decidido um aumento na taxa de juros, que está em 1,75%, a mais baixa em 40 anos.Em discurso no Senado na semana passada, o presidente do Fed, Alan Greenspan, disse que a economia está agora "movendo-se por um ponto de mudança" em relação à recessão que começou em março de 2001.ConfiançaO índice de confiança do consumidor medido pela Universidade de Michigan subiu para 95 pontos em março, o mais alto desde dezembro de 2000. Em fevereiro ele estava em 90,7 pontos. Foi o primeiro aumento em seis meses. A pesquisa baseia-se numa pesquisa telefônica para 500 pessoas.Um relatório do Departamento do Trabalho informou que a inflação está estagnada. O Índice de Preços no Atacado (PPI) subiu 0,2% em fevereiro, depois de aumentar 0,1% em janeiro. Excluindo os setores de alimentos e de energia, o índice não teve mudanças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.