Nuvem faz SAP avaliar corte de até 2,5 mil vagas

A desenvolvedora europeia de software corporativo SAP está planejando cortar entre 1,5 mil e 2,5 mil funcionários. As demissões são motivadas pelo fato de que a tecnologia de computação em nuvem permitirá redução de equipes, afirmou ontem uma fonte próxima ao assunto.

O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2014 | 02h07

A SAP informou na quarta-feira que promoveria cortes de vagas. Um porta-voz da empresa não quis comentar o assunto.

"O número não é ainda definitivo e há ainda verificações sendo feitas sobre quais posições se sobrepõem ou são desnecessárias", disse uma pessoa com conhecimento do assunto à Reuters. A fonte acrescentou que os cortes atingirão todas as regiões e áreas de operação da SAP.

Criada em 1972 na Alemanha, a companhia emprega atualmente um total de 67 mil funcionários, e está presente em todo o mundo, cobrindo países como Estados Unidos, China, França, Turquia, Israel, Japão, Índia, e também na América Latina e Caribe, com forte presença no Brasil.

Entretanto, a SAP diz tem em seus planos a criação de cerca de 3 mil novos empregos neste ano, o que deve gerar um aumento líquido no número de funcionários, disse a fonte.

A computação em nuvem permite que empresas cortem custos ao adotarem softwares que são executados em centrais remotas de processamento de dados em vez de computadores instalados das próprias empresas. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.