carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

NY fecha em leve alta com otimismo sobre balanços

As Bolsas de Nova York encerraram em leve alta hoje, à medida que os investidores continuaram otimistas sobre a atual temporada de divulgação de balanços, o que elevou as ações do Bank of America e outras financeiras e fez o índice Dow Jones renovar a máxima do ano. Mas um recuo nos papéis da Sandisk e em outras empresas de tecnologia conteve os ganhos.

AE, Agencia Estado

12 de outubro de 2009 | 20h21

No pregão com o segundo menor volume de negócios do ano, o índice Dow Jones encerrou em alta de 20,86 pontos, ou 0,21%, aos 9.885,80 pontos, marcando a terceira sessão de alta e uma nova máxima de fechamento em 2009. Durante o pregão, o índice atingiu 9.931,82 pontos, bem perto da marca psicológica dos 10 mil pontos.

Além do financeiro, o setor com melhor desempenho no índice foi o de energia, uma vez que os preços do petróleo atingiram o nível mais alto em sete semanas e fecharam acima de US$ 73 por barril. No índice, as ações da Chevron subiram 1,3% e das Exxon Mobil, 1,2%. O índice Standard & Poor''s 500 fechou em alta de 4,7 pontos, ou 0,44%, aos 1.076,18 pontos, encerrando no positivo pelo sexto pregão consecutivo e marcando o maior fechamento desde 3 de outubro.

Os ganhos no setor financeiro beneficiaram as bolsas, com Bank of America avançando 3% e Citigroup subindo também 3%. Ao longo da semana, os dois bancos divulgarão os balanços do terceiro trimestre, assim como o JPMorgan e o Goldman Sachs.

Já o setor de tecnologia pesou nas bolsas e fez o índice Nasdaq fechar em baixa de 0,14 pontos, ou 0,01%, aos 2.139,14 pontos. Mais cedo na sessão, o Nasdaq atingiu 2.155,92 pontos, acima da máxima de fechamento em 2009, mas ainda abaixo da máxima intraday em 52 semanas de 2.167,70, que atingiu em 23 de setembro.

Embora as ações de empresas de chips tenham ficado positivas no geral, Sandisk caiu 2% depois que um analista do UBS rebaixou a recomendação da empresa de "neutra" para "venda". Dell também teve desempenho fraco, recuando 2,5%.

Câmbio

Nos mercados de câmbio, o euro avançou em relação ao dólar, mas fechou abaixo das máximas do dia, acompanhando de perto o comportamento das bolsas. O volume de negócios foi reduzido devido aos feriados no Japão, nos Estados Unidos e no Canadá, o que manteve a maioria das moedas em uma faixa apertada de negociação, mesmo com o maior apetite por risco dos investidores. Durante o pregão, o euro chegou a ficar acima de US$ 1,48.

No final do dia em Nova York, o euro era negociado a US$ 1,4784, de US$ 1,4711 na sexta-feira. O dólar estava cotado a 89,83 ienes, de 89,83 ienes na sexta-feira. A libra era vendida a US$ 1,5790, de US$ 1,5848 na sexta-feira, enquanto o euro estava a 132,76 ienes, de 132,13 ienes na sexta-feira. A libra caiu frente ao dólar em reação ao relatório do Centro para Pesquisas Econômicas e de Negócios, que afirmou que o juro britânico deve permanecer em 0,5% até 2011 e não subirá de volta a 2,0% até 2014. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.