Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

NY não se anima com corte do Fed e despenca

A Bolsa de Nova York fechou em queda, em dia marcado pela decisão do Federal Reserve, de reduzir as taxas de juro de curto prazo em meio ponto porcentual. Dos índices mais importantes do mercado, o único a subir foi o Dow Jones, mas o ganho foi inferior a 0,10%. O Nasdaq, concentrado em ações de tecnologia, operou em alta até o anúncio da decisão do Fed, e depois passou a cair. Analistas ouvidos pela Dow Jones disseram que o corte do Fed já estava embutido nos preços e que alguns investidores preferiram realizar lucros depois do anúncio da decisão. Outros concentraram suas atenções nos motivos que levaram o Fed a afrouxar a política monetária: a forte desaceleração da economia norte-americana nos últimos meses, exemplificada pela manhã com a primeira estimativa do PIB dos EUA.O índice Dow Jones fechou em alta de 6,16 pontos (0,06%), em 10.887,36 pontos. A mínima do dia foi em 10.832,58 pontos e a máxima em 10.957,50 pontos. O Nasdaq fechou em queda de 65,62 pontos (2,31%), em 2.772,73 pontos, com mínima em 2.772,35 pontos e máxima em 2.872,47 pontos.

Agencia Estado,

31 de janeiro de 2001 | 20h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.