NY registra queda nas bolsas em dia de pessimismo

Para analista, 'volatilidade voltou à cena' após resultados negativos de empresas.

Adriana Stock, BBC

22 de outubro de 2007 | 15h00

Os principais indicadores do mercado de Nova York registram quedas nesta segunda-feira, seguindo um movimento de venda registrado na sexta-feira e refletindo um clima de pessimismo.Às 11h no horário local (13h em Brasília), o índice Dow Jones Industrial Average registrava uma queda de 0,69%. O indicador Nasdaq caía 0,11%, e o índice Standard & Poor's recuava 0,56%."O mercado se surpreendeu com os resultados negativos das empresas na semana passada, então a volatilidade voltou à cena", comentou Nuno Camara, economista-sênior do banco de investimentos Dresdner Kleinwort Wasserstein (DrKW).Na sexta-feira, grandes empresas, como a Caterpillar e a Honeywell, divulgaram balanços com ganhos abaixo do esperado por Wall Street e com expectativas de lucros reduzidas para o quarto trimestre e para 2008.Isso seria reflexo do desaquecimento da economia americana em virtude da crise imobiliária no país.Outro fator que deixou os investidores mais avessos ao risco na sexta-feira foi a data em si, dia 19 de outubro, o aniversário de 20 anos da "Segunda-feira Negra", quando o índice Dow Jones despencou quase 23%.Em São Paulo, a Bovespa segue a tendência de Nova York. Por volta das 13h55, hora de Brasília, o índice operava com baixa de 0,57%, enquanto o dólar comercial subia 1,05% e era cotado a R$ 1,82.As principais bolsas de valores da Europa e da Ásia também registraram quedas.O índice japonês Nikkei fechou em baixa de 2,2%. Em Hong Kong e Cingapura, as quedas foram ainda mais acentuadas, com perdas de 3,7% e 2,8%, respectivamente.A bolsa de Xangai registrou queda de 2,6%.Na Europa, o índice FTSE 1000, da Bolsa de Londres, registrava baixa de 0,86%, por volta das 15h45 no horário local. Em Paris, o CAC recuava 1,52%, e, em Frankfurt, o DAX registrava uma baixa de 1,2%, por volta das 16h45 do horário local.Na avaliação de Camara, a expectativa é de "mais incerteza" para a semana."A leitura continua confusa e incerta, mas não acreditamos que vá chegar aos níveis de julho e agosto", disse.Para Dick Green, do site de investimentos Briefing, a atual queda dos índices é apenas uma "reavaliação racional dos preços diante de uma expectativa medíocre" dos resultados das empresas americanas e do "otimismo excessivo" do último corte da taxa básica de juros feito pelo Federal Reserve (o banco central americano).BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
mercadosquedarecessãoeuaásiaeuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.